PESQUISA NESTE SITE:

12 de julho de 2017

MONTES CLAROS-MG - Dentista tem uma 'égua' como animal de estimação em casa

Dono do animal tirou a égua da fazenda e levou para dentro de casa no Bairro Jaraguá, em Montes Claros, para tratar de um ferimento no olho; em casa, Keith se recuperou totalmente.



               Cães e gatos estão entre as preferências para quem gosta de animais de estimação em casa. Há ainda aquelas pessoas que curtem mais os pássaros e, em menor incidência, répteis como as iguanas - tudo devidamente regulamentado pelos órgãos ambientais. Mas imagina ter em seu quintal um animal de 600 quilos? Este é o hobby de um dentista em Montes Claros-MG, que resolveu tirar da fazenda, e colocar dentro de casa, a égua Keith, da raça Apalloosa.

               O proprietário do animal é Vinícius Comini, que levou a Keith para o quintal da casa da mãe dele, no Bairro Jaraguá, há um ano. Mesmo com todas as atenções na fazenda, a égua, de nove anos, não mostrava evolução no tratamento de um ferimento no olho. Na cidade, com cuidados três vezes ao dia, a recuperação foi total e sem a necessidade de uma intervenção cirúrgica como os veterinários apontavam. 

               Keith esbanja boa saúde com uma rotina de treinos nos gramados. Já correu em vaquejadas e agora treina para participar de provas do team penning.

               Também professor universitário, Vinícius mora em uma rua acima da casa da mãe, e revela que tem amor por cavalos desde a infância. A família dele tem criação e, com isso, logo se acostumou com as selas e os trotes. 

“Desde os três anos eu acompanho o meu pai na criação de cavalos; não deixava as baias nem para almoçar. 
Eu comprei a Keith em 2008. Essa raça tem característica e força para o esporte com corrida”
               Explica.

               Keith já precisou de cuidados ainda maiores. Ainda na fazenda, com a ajuda de vaqueiros, a égua apresentou um quadro de prolapso de útero, quando parte do órgão se projeta para fora do corpo. Os veterinários explicaram que a cirurgia deveria ser em Belo Horizonte-MG, sem garantias de sobrevivência.

“Eu não tinha garantias de que a intervenção daria certo. Então, nós mesmos fizemos a cirurgia na fazenda. 
Conseguimos tratá-la e ela ficou muito bem. Agora, recentemente, na lesão do olho, a pálpebra inflamou e ficou invertida, com necessidade de cuidado permanente mais de uma vez ao dia, com limpeza e aplicação de remédio. 
Decidi trazê-la para casa e cuidar dela, o tempo todo”
               Conta.

               Os primeiros dias de Keith na cidade, ainda mais dentro do quintal de uma casa, causou estranheza para a família e os amigos. Foi preciso construir, no lugar da quadra de areia, um cercadinho e uma baia.

“Temos muito carinho por ela; meu pai e eu cuidamos do ferimento incansavelmente. 
Ela tem uma expressão própria e é muito oponente. 
Eu mesmo tinha de cuidar. 
Minha mãe estranhou um pouco, mas deixou. 
Eu moro logo na esquina e a baia fica no quintal da casa da minha mãe”
               Disse.

               Os custos com a criação do equino exige cerca de R$500,00 por mês para feno e ração especial duas vezes ao dia, além de água. Quando Vinícius está trabalhando, o pai ajuda. O trabalho maior é com a limpeza do ambiente: retirar o esterco pelo menos a cada dois dias, que logo é reutilizado como adubo.

               Dona Irene Comini Mol, de 60 anos, não resistiu à necessidade do tratamento de saúde de Keith e topou a ideia do filho de levá-la para o quintal, onde tem um espaço considerável. 

“Eu assustei, achei uma loucura. 
Mas ela precisava de cuidados e o coração de mãe falou mais alto ao pedido do filho. 
Hoje, já me apaguei à Keith, que passou a ser o xodó da família”
               Confessa.


Competição

               Keith está em fase de adaptação da modalidade de vaquejada para o team penning. Na Expomontes 2017, a égua deu os primeiros passos e chegou a ser classificada. Para os treinamentos, ela faz trabalhos de fortalecimento dos músculos. Do quintal, ela vai para um espaço de treinamento.

“Keith é atleta, deixa-lá parada é ruim. Criamos por lazer e amor e sabemos que ela se desenvolve bem no esporte. 
Além de cuidados diários, pelo menos três vezes por semana, eu pratico exercícios físicos com ela”
               Enfatiza.

               E a família garante que não tem mais volta. A baia de Keith vai ficar lá no quintal de Dona Irene por muito tempo. 

“Ela pode ficar pelo tempo que quiser”
               Declara.

               Com Informações de: G1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!
Seu nome e sua cidade é muito importante!

UNAIENSES - DESTAQUE - 2017

UNAIENSES - DESTAQUE - 2017
Certificado de Destaque do ano

GRUPO LEIA UNAÍ

GRUPO LEIA UNAÍ
Participe também via Whats do nosso Grupo de Notícias

GRUPO FALA UNAÍ

GRUPO FALA UNAÍ
Participe também do Grupo Público no Whats